CONSELHO FISCAL

De acordo com a Lei das Sociedades por Ações, o conselho fiscal é um órgão societário independente da administração e dos auditores externos. O conselho fiscal pode funcionar tanto de forma permanente quanto de forma não permanente, caso em que atuará durante um exercício social específico quando instalado a pedido dos acionistas que representem, no mínimo, 2% das ações com direito a voto e cada período de seu funcionamento terminará na primeira assembleia geral ordinária após a sua instalação.

As principais responsabilidades do conselho fiscal consistem em fiscalizar as atividades da administração, rever as demonstrações financeiras da companhia e reportar suas conclusões aos acionistas. A Lei das Sociedades por Ações exige que os membros do conselho fiscal recebam remuneração de, no mínimo, 10% do valor médio pago anualmente aos diretores da companhia. A Lei das Sociedades por Ações também exige que o Conselho Fiscal seja composto por, no mínimo, três e, no máximo, cinco membros e seus respectivos suplentes.

O Estatuto Social do Banco Sofisa prevê um Conselho Fiscal de caráter não permanente, eleito unicamente a pedido dos acionistas da Companhia em Assembleia Geral. Dando continuidade à adoção das melhores práticas de Governança Corporativa, na Assembleia Geral Extraordinária realizada em 20/07/2007 foi deliberada a instalação do Conselho Fiscal do Banco e em 28/04/2016 a última eleição de membros.

COMITÊ DE AUDITORIA

Na Assembleia Geral Extraordinária, realizada em 20/07/2007, foi realizada alteração estatutária para formalizar dentro da estrutura do Banco Sofisa a existência de um Comitê de Auditoria, nos moldes exigidos pelos padrões atuais de Governança Corporativa da BM&FBOVESPA. Esse Comitê de Auditoria existe desde 1995, porém sua normatização foi adequada às regras atuais de Governança para inclusão no Estatuto Social.